As informações deste registro é histórico gerado em 25/05/2017 ás 23:27:41.
Este espaço está como publicado , e pode ser acessado clicando aqui

CASA DO CANTADOR DO DISTRITO FEDERAL

A Casa do Cantador é considerada o Palácio da Poesia e da Literatura de Cordel no Distrito Federal. Foi inaugurada em nove de novembro de 1986 e está localizada em Ceilândia - cidade que concentra um grande número de imigrantes da Região Nordeste,
O local é palco de apresentações de grandes nomes da cultura nordestina, como cantores de repente e embolada; exposição de culinária nordestina, inclusive a cozinha do local recebeu o nome de Maria Bonita; oficina de música e trabalhos de inclusão digital. Conta também a biblioteca batizada de Patativa do Assaré, na qual é possível encontrar um grande acervo de cordéis, entre eles exemplares de Jorge Amado e Ariano Suassuna.

A Casa do Cantador do Brasil, situada em Ceilândia, é um próprio da Secretaria de Estado de Cultura do Distrito Federal (DF), criada em 1986 e arquitetada por Oscar Niemeyer. A Casa conta com um teatro de arena, uma cantina, três salas administrativas no térreo e vários cômodos no 1º andar que eram utilizados por repentistas que passavam por Brasília em visitas ou temporadas para trabalhos.
Durante a administração de 1995 a 1998 (Governo Cristovam/PT), a atual direção da Casa do Cantador conseguiu fazer com que a comunidade artística e o público tivessem acesso à Casa por meio de uma ampla programação cultural realizada em parceria com a Administração Regional de Ceilândia e outros segmentos artísticos. No período, a Direção da Casa do Cantador promoveu Festivais regionais e nacionais de Repentistas, Cantorias de Pé-de-Parede, Oficinas de Repente e Cordel, a Semana de Cultura Nordestina, os Projetos Cantoria Escola e Capoeira, Exposições e eventos diversos, como também o funcionamento da Biblioteca de Cultura Nordestina da casa do Cantador.

A partir de 1999 a vida cultural da Casa do Cantador perdeu um pouco da sua essência na realização dos seus projetos. Foram realizados pouquíssimos eventos significativos no Espaço entre 1999 e 2010, período em que a resistência da Arte do Repente no DF se deu por meio de seus artistas e admiradores que, inclusive, promoveram eventos na Casa apenas com o consentimento do Governo do Distrito Federal (GDF), porém sem aporte de recursos, a exemplo do II Encontro dos Campeões do Repente, realizado em setembro de 2010 pela ACRESPO – Associação dos Cantadores Repentistas e Escritores Populares do DF e Entorno, com patrocínio da Petrobrás.

Site: http://www.cultura.df.gov.br/nossa-cultura/casa-do-cantador.html

Email: casadocantadordobrasil@gmail.com

Telefone Público: (061) 3378-5067

Endereço: QNN 32 ÁREA ESPECIAL - COMPLEMENTO: - CIDADE: Brasília - ESTADO: DF - CEP: 72215085

CEP: 72215085

Logradouro: QNN 32 ÁREA ESPECIAL

Número:

Complemento:

Bairro:

Município: Brasília

Estado: DF

Descrição

CASA DO CANTADOR DO DISTRITO FEDERAL (061) 3378-5067 http://www.cultura.df.gov.br/nossa-cultura/casa-do-cantador.html casadocantadordobrasil@gmail.com Horário de Visitação: De segunda-feira a sexta-feira das 9h às 18h (nos dias de eventos noturnos, abre conforme horário da programação). A Casa do Cantador é considerada o Palácio da Poesia e da Literatura de Cordel no Distrito Federal. Foi inaugurada em nove de novembro de 1986 e está localizada em Ceilândia - cidade que concentra um grande número de imigrantes da Região Nordeste,
O local é palco de apresentações de grandes nomes da cultura nordestina, como cantores de repente e embolada; exposição de culinária nordestina, inclusive a cozinha do local recebeu o nome de Maria Bonita; oficina de música e trabalhos de inclusão digital. Conta também a biblioteca batizada de Patativa do Assaré, na qual é possível encontrar um grande acervo de cordéis, entre eles exemplares de Jorge Amado e Ariano Suassuna.

A Casa do Cantador do Brasil, situada em Ceilândia, é um próprio da Secretaria de Estado de Cultura do Distrito Federal (DF), criada em 1986 e arquitetada por Oscar Niemeyer. A Casa conta com um teatro de arena, uma cantina, três salas administrativas no térreo e vários cômodos no 1º andar que eram utilizados por repentistas que passavam por Brasília em visitas ou temporadas para trabalhos.
Durante a administração de 1995 a 1998 (Governo Cristovam/PT), a atual direção da Casa do Cantador conseguiu fazer com que a comunidade artística e o público tivessem acesso à Casa por meio de uma ampla programação cultural realizada em parceria com a Administração Regional de Ceilândia e outros segmentos artísticos. No período, a Direção da Casa do Cantador promoveu Festivais regionais e nacionais de Repentistas, Cantorias de Pé-de-Parede, Oficinas de Repente e Cordel, a Semana de Cultura Nordestina, os Projetos Cantoria Escola e Capoeira, Exposições e eventos diversos, como também o funcionamento da Biblioteca de Cultura Nordestina da casa do Cantador.

A partir de 1999 a vida cultural da Casa do Cantador perdeu um pouco da sua essência na realização dos seus projetos. Foram realizados pouquíssimos eventos significativos no Espaço entre 1999 e 2010, período em que a resistência da Arte do Repente no DF se deu por meio de seus artistas e admiradores que, inclusive, promoveram eventos na Casa apenas com o consentimento do Governo do Distrito Federal (GDF), porém sem aporte de recursos, a exemplo do II Encontro dos Campeões do Repente, realizado em setembro de 2010 pela ACRESPO – Associação dos Cantadores Repentistas e Escritores Populares do DF e Entorno, com patrocínio da Petrobrás. Equipamentos Culturais Equipamentos Culturais Centros Culturais Equipamentos Culturais Centros Culturais Centro Cultural Público

Publicado por

SECRETARIA DE ESTADO DE CULTURA DO DISTRITO FEDERAL

A Secult foi reestruturada por meio do Decreto nº 21.675/2000 e tem por competências básicas:

* Criar, manter, preservar, estimular e apoiar direta e/ou indiretamente bibliotecas, centros de ação cultural, museus, arquivos, teatros, salas de espetáculos, orquestras, coros, cinemas e outros afins relacionados à área de cultura;

* Formular e executar a política cultural do Distrito Federal;
* Propiciar meios de acesso à cultura, através da manutenção dos bens, espaços e instituições culturais do Distrito Federal;

* Incentivar a produção cultural do Distrito Federal, por meio do Fundo da Arte e da Cultura (FAC);

* Incentivar os programas de valorização e profissionalização dos artistas e técnicos do Distrito Federal;

* Promover e incentivar festivais, seminários, temporadas e programas de intercâmbio cultural, artístico e científico;

* Promover, apoiar e patrocinar eventos de cunho artístico e cultural da cidade e Região Integrada de Desenvolvimento do Entorno;

* Programar, coordenar, organizar, executar e fiscalizar anualmente o Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, direta ou indiretamente;

* Adquirir, arrendar, manter ou administrar teatros, cinemas, galerias, museus, bibliotecas, orquestras, salas de espetáculos e outros espaços de apresentações culturais.